quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Carta ao meu sobrinho que não quer nascer

Puto, eu percebo-te. Nem sempre isto é o que nos prometem, eu entendo. Nascer é ter que aturar a Assunção Cristas no Jornal da Noite, que é uma senhora que aborrece, ter que lidar com o trânsito a horários que devíamos estar na caminha, agradar o patrão, mesmo que seja uma besta.  É ter que levar com os Festivais do Chouriço ao domingo à tarde, na TVI e com os atrasos recorrentes da CP e da Carris. Uma chatice, eu sei. Também não é fácil nascer no ano em que o Trump toma posse, aquilo que ouviste dos telejornais pode ser que não seja bem assim e que aquilo do muro não passe de um devaneio. Ou então talvez estejas com medo de ter que usar aquele fato que o teu pseudo-tio comprou de dinossauro. I totally get you.
Mas miúdo, não estás bem a ver, isto de nascer é a coisa mais espectacular de sempre. Eu sei que costumas estar habituado ao teu casulo húmido e escuro, e que estás bem, mas nem imaginas o que te espera cá fora. Um sol tão grande que vais ter que virar o olhar, de tão forte, cores tão diferentes de céu como nunca viste. Vais nascer numa ilha, queres melhor? Vais ser como estar de férias todo o ano. Se o teu receio é o Alberto João esquece, ele já está reformado e não está para se chatear. O outro, o Manuel Coelho, vai preso por isso é tranquilo. Vais ter os pais mais fixes de sempre e vais conhecer o mundo. É garantido. Tem coisas tão fixes que nem sonhas. Uma coisa já te aviso, vais ter que ter boas notas, puto o teu pai não vai ser o que vai ter mais paciência para te explicar as dúvidas das matérias, comigo não tinha nenhuma, vai te explicar uma vez e não vai entender como é que percebeste à primeira, mas vá... pode ser que já tenha aprendido entretanto, a paciência é algo que se trabalha. Apesar disso vai ser o melhor. Não terás ninguém mais preocupado e não te vai largar. Não sei se sabes mas ele adora miúdos. Fica fascinado, como não vejo igual. Da tua mãe vais ter a calma e a organização, do teu pai o espírito jovem. Há e avós, ui, não os conheces mas são umas figuras. A tua avó vai querer engordar-te com comidas feitas no forno, o teu avó levar-te a casa do Porto e que vejam jogos juntos. 
A tua tia, esquece, vai amar-te incondicionalmente. Podes pedir-lhe coisas, é uma coração mole, vai acabar por ceder.

Puto, eu sei que há mais inglesas aí em Agosto, mas admite que não podes ficar aí para sempre e que 1 dia em trabalho de parto já chega. Não chateies mais a tua mãe, eu sei que só lhes damos valor mais tarde, mas vá, não sejas teimoso, é mal de família e já somos muitos a ser assim. 

4 comentários:

A Pimenta* disse...

Brutal, adorei a tua mensagem para o sobrinho que tarda em querer conhecer o mundo cá fora :)

EscritaDela disse...

Que linda carta :) o teu sobrinho vai adorar lê-la um dia :)

[B] disse...

Opa adorei :)

Pam disse...

Ahahah, boa onda esta madrinha :D

Flickr Images