quinta-feira, 13 de março de 2014

Ainda bem que amanhã é sexta


Hoje foi um dia muito suis generis.
Vi um homem bater com o carro contra um poste. Disse adeus muito veementemente e de forma muito espalhafatosa a um desconhecido que ia passar de carro. Pensei que era um amigo meu. Não era. Fiz alta figura de ursa.
Hoje tive a trabalhar com crianças de 3 aos 5 anos. Uma delas sentou-se em cima do meu computador portátil. Quando tirei a bata uma menina perguntou-me porque é que eu ia trabalhar tão arranjada, desconhecendo ela a força hercúlea que eu fiz para vestir estas calças hoje de manhã. Outra pediu-me dicas de penteados da moda. Tive meia hora à espera de uma pessoa que afinal já tinha ido embora. Estou com uma dor de costas que me indica uma idade celular de 63 anos. As caminhadas continuam, mas não sei se hoje vou dar parte fraca. Esqueci-me que fui fazer compras e que tinha carne, iogurtes e queijo na mala do carro. Graças ao senhor, depois lembrei-me. Hoje liguei 2 vezes para o Centro de Emprego. As pessoas começam a já conhecer o meu nome por lá. Até que me contactem continuo feita esquentador, a trabalhar para aquecer. Se me voltam a dizer que tenho que esperar vão haver feridos. Na volta para casa armei-me em esperta e meti por um atalho, que mais não era que um caminho estreito, manhoso e cheio de buracos. Disse mal da minha vida.

Enfim, just another day in the office...

1 comentário:

A Pimenta* disse...

Este dia foi sempre de vicissitudes, mas esperemos que esta novela com o centro de emprego tenho um final feliz para ti. É mesmo caso para desesperar!

Flickr Images