terça-feira, 21 de março de 2017

Guia de viagem #Amesterdão

Companhia: Vueling
Preço ida/volta: 63€
Estadia: AirBnB

Com mais de 50 museus e mais "500" ruas para descobrir a passear pelos canais, não falta o que fazer em Amesterdão. Haja apenas dinheiro e disposição.
É uma cidade linda, apanhamos bom tempo e voltei a mal conseguir andar de tanto que percorremos a pé aquela cidade.

No primeiro dia seguimos até à Fábrica da Cerveja Heineken e logo em frente compramos bilhetes para a viagem de barco pelo canais. Seguimos para este museu, o Museu Nacional (Rijksmuseum), para quem não se apercebe o acesso aos jardins do Palácio, ao lado das famosas letras, é gratuito e que dá para descansar um pouco desta confusão. Subimos às letras - morri de medo - e tirámos as fotos da praxe.

Resultado de imagem para amsterdam

Seguímos para a viagem que tínhamos comprado. Se tivessemos reservado pela internet teria ficado 4€ mais barato. Assim pagamos 16€/pessoa, mas valeu o dinheiro. A companhia foi a blue boat e tem audio incluído em português.

Resultado de imagem para tour canal amsterdam

Seguimos para o Centro de Amesterdão a pé e fomos até à estação central.

Resultado de imagem para central station amsterdam

Apanhamos um barco e fomos até ao A'dam Lookout, um edificio que tem um vista panoramica sobre Amesterdão, 15€/pessoa.

Resultado de imagem para a'dam lookout

E que tem o mais alto baloiço da Europa.

Resultado de imagem para a'dam lookout

Tivemos que aproveitar o bom tempo, nesse dia. Compramos a entrada premium que dá para subir ao edificio durante o dia e outra durante a noite e valeu a pena.
Comemos as melhores bolachas de sempre. Feitas na hora e quentinhas, num mercado de rua muito conhecido mas que falta agora à memória. 

Resultado de imagem para stroopwafels market

Fomos ao mercado das Tulipas, mais ainda não havia muitas porque os campos das tulipas também só abrem no fim deste mês.

Resultado de imagem para amsterdam market tulip

Passamos na casa de Anne Frank, na estátua, fomos à biblioteca municipal, ao Starbucks onde uns espanhóis que estavam ao nosso lado foram assaltados (assunto para outro post) fomos à red light district (o namorado não queria muto, ah estámos cansados, ah já andamos às voltas e dar de dar com as piquenas, enfim. Eu lá ia a Amesterdão sem ver a red light com os meus próprios olhos? Nem pensem. Insisti (irónico mas pronto) e lá demos com o sítio. Wow, as ruas ficam mesmo com luzes vermelhas e é shows + 18 porta sim porta sim.
Andamos muito, conhecemos a cidade e não me importava nada de lá voltar.
É fantástico. O único risco é ser-se atropelado por uma bike a toda a velocidade, pois são aos milhares de ciclistas por todo o lado. 
Agora ao ler o post da L. das Horas, quando ela lá foi, percebi que deixei o comentário que "estava na minha lista" mas estava eu longe de perceber que lá ia tão cedo e que ia merecer tanto a viagem.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Fui a Amesterdão

Resultado de imagem para amsterdam
Foi a prenda de Natal que ofereci ao namorado e
 tenho a dizer-vos é lindo, lindo, lindo.

quarta-feira, 8 de março de 2017

...

Acordo, tenciono ir para o trabalho e tenho o pneu no chão. Sorte das sortes? O carro do namorado tinha ido para o mecânico e iamos ficar só com o meu.
Namorado troca o pneu pelo suplente.
Eva Luna anda uma semana sem pneu suplente na mala, porque o que estava lá estava em uso (blá blá não tem tempo, blá blá preguicite).
Ontem ia almoçar e deparo-mes com o pneu suplente no chão.



Há coisas que só a mim, sinceramente.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Habemus puto!

Obááá, 
Ainda assim foi meio contrariado, não foi na minha conversa e teve que ser por cesariana.
Vai chamar-se o masculino do meu nome, pode ser que isso seja um sinal de que vá ser a madrinha, certo? Digam que si. (Ok, ok, não tem nada a ver, já percebi)

Se não for, também não há mal no mundo e sempre fica mais barato. 
Será o meu único sobrinho, de qualquer das formas não vou poder gostar mais dele do que já gosto. Ando com umas ganas de me meter num avião que nem imaginam, mas não está muito fácil. 

A ver. A ver.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O meu namorado consome-me a energia

Resultado de imagem para rachel friends labor

Diz ele que não há problema nenhum em estar tanto tempo em trabalho de parto. A teoria dele é que a minha cunhada está tranquila, que não está em sofrimento nenhum e que isso são tudo coisas da minha cabeça. Deve estar medicada e pronto, problema resolvido - segundo ele.
Menosprezar é muito bonito porque nunca foi nada com eles. 

Respira fundo, muito fundo para não me chatear.


QUE RAIO SABEM OS HOMENS SOBRE ISTO?
Amigos se não sabem façam-me um favor: Caladitos, sugaditos! Fim de história. Fim de bitaites.
Amigas, se já pariram, digam, por favor, ao meu namorado que ele não percebe um boi disto e que nunca irá sonhar as dores e o sofrimento que se passa ao ter um filho e que se devia dedicar à pesca em vez de comentar este assunto.

Agradecida.

Nota: Tudo isto faz-me lembrar este episódio de Friends em que a Rachel está eternidades para a criança nasça e nada.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Carta ao meu sobrinho que não quer nascer

Puto, eu percebo-te. Nem sempre isto é o que nos prometem, eu entendo. Nascer é ter que aturar a Assunção Cristas no Jornal da Noite, que é uma senhora que aborrece, ter que lidar com o trânsito a horários que devíamos estar na caminha, agradar o patrão, mesmo que seja uma besta.  É ter que levar com os Festivais do Chouriço ao domingo à tarde, na TVI e com os atrasos recorrentes da CP e da Carris. Uma chatice, eu sei. Também não é fácil nascer no ano em que o Trump toma posse, aquilo que ouviste dos telejornais pode ser que não seja bem assim e que aquilo do muro não passe de um devaneio. Ou então talvez estejas com medo de ter que usar aquele fato que o teu pseudo-tio comprou de dinossauro. I totally get you.
Mas miúdo, não estás bem a ver, isto de nascer é a coisa mais espectacular de sempre. Eu sei que costumas estar habituado ao teu casulo húmido e escuro, e que estás bem, mas nem imaginas o que te espera cá fora. Um sol tão grande que vais ter que virar o olhar, de tão forte, cores tão diferentes de céu como nunca viste. Vais nascer numa ilha, queres melhor? Vais ser como estar de férias todo o ano. Se o teu receio é o Alberto João esquece, ele já está reformado e não está para se chatear. O outro, o Manuel Coelho, vai preso por isso é tranquilo. Vais ter os pais mais fixes de sempre e vais conhecer o mundo. É garantido. Tem coisas tão fixes que nem sonhas. Uma coisa já te aviso, vais ter que ter boas notas, puto o teu pai não vai ser o que vai ter mais paciência para te explicar, comigo não tinha nenhuma, mas pode ser que já tenha aprendido entretanto. Apesar disso vai ser o melhor. Não terás ninguém mais preocupado e não te vai largar. Não sei se sabes mas ele adora miúdos. Fica fascinado, como não vejo igual. Da tua mãe vais ter a calma e a organização, do teu pai o espírito jovem. Há e avós, ui, não os conheces mas são umas figuras. A tua avó vai querer engordar-te com comidas feitas no forno, o teu avó levar-te a casa do Porto e que vejam jogos juntos. 
A tua tia, esquece, vai amar-te incondicionalmente. Podes pedir-lhe coisas, é uma coração mole, vai acabar por ceder.

Puto, eu sei que há mais inglesas aí em Agosto, mas admite que não podes ficar aí para sempre e que 1 dia em trabalho de parto já chega. Não chateies mais a tua mãe, eu sei que só lhes damos valor mais tarde, mas vá, não sejas teimoso, é mal de família e já somos muitos a ser assim. 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

TV ON vs Cérebro OFF

Quando me quero abstrair do mundo a TLC é a minha melhor companhia. Por 20 minutos o cérebro desliga e fico só ali a contemplar os fenómenos Tlcianos.

Pois que voltaram com uma nova temporada de "Married by Mom and Dad", em que são os pais que escolhem os maridos/esposas dos filhos/as. 
As pessoas conhecem-se, e estão juntas pela primeira vez, no altar.

Epá, o conceito é brilhante... para provocar o caos. Love it, love it, love it.

Outro programa que acompanho é o "The Bachelor". Ouvia tanto falar deste programa nas séries, na imprensa, nos talk shows norte americanos e não percebia a razão do aparato. Pois que é só o melhor reality show da história.

Pegam num indivíduo e propõem que ele conheça e tenha encontros com 30 mulheres, com o intuito de casar com uma. O final do programa é ele a decidir com quem quer casar e a pedir a piquena em casamento. É outra pérola. Eles vão tendo mega encontros com cada uma delas, ora num iate, ora num helicóptero, ora numa ilha paradisíaca, ora dentro de um vulcão adormecido. Um must. Todas as semanas elimina 2 ou 3 miúdas até encontrar "a tal" o conceito vai nas 21 temporadas e é um reality show vencedor, o programa alterna com a "The Bachelorette", em que elas procuram o marido.

 Priceless.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Dias assim..

Reclamamos demasiado da vida. 
Da porta do armário da cozinha que alguém deixou aberta, do carro que precisou de um amortecedor novo, do tempo frio, da senhoria que nunca mais manda lá o canalizador, enfim, depois a vida trata de nos colocar no nosso devido lugar e mostrar que as nossas preocupações são n-a-d-a e que gastamos energia demais com coisas que não têm importância.
Após um episódio de doença o meu irmão fez análise e exames de despiste.
Foi encontrada uma mutação genética, transmitida pelos nossos pais, que lhe faz ter mais predisposição para desenvolver determinados e sérios problemas de saúde. Já iniciou medicação, aparentemente, para a vida.
Tenho que fazer os mesmos testes mas... partindo do princípio que um dos meus pais tem a mutação, que o meu irmão também, não tenho perspectivas muito animadoras. Por ser mulher a pílula aumenta cem vezes a possibilidade de doença e é durante a gravidez e parto que a doença é mais mortal.

...


Fuck.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Saldos #3



H&M

Inspiração:


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Considerações várias sobre cenas e afins:

- O vídeo do "Portugal em Segundo"... Ok, anima e tem partes engraçadas mas 0,5 segundos depois faz-me pensar que eu não me identifico com algumas coisas que lá são ditas, há insinuações e piadas deselegantes sobre a Melania.
Se o indivíduo X é um estupor e diz barbaridades ele é o responsável pelo que faz e diz. 

Se eu, ao falar do dito estupor, também digo barbaridades então eu sou responsável por isso.
Percebo a piada (logo eu que brinco com tudo) mas ecck acho que há outras maneiras de provar que não nos identificamos com as suas politicas de modo menos ofensivo.

- Ainda no outro dia ouvi o Diogo Morgado a falar sobre o seu bebé pequenino e esta semana vi as fotos dele aos beijos com uma miúda da novela, à porta de casa dela, regressando depois à casa onde vivia com a mulher e os filhos. Hoje vi que já saiu de casa, depois das fotos terem sido publicadas. Well.. well.. Haja deus e um Jesus menos hot, senão é isto que acontece...

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Saldos #2


Sempre fui muito indecisa, quando gosto de mais do que uma coisa ao mesmo tempo nunca me consegui decidir por uma só, desde miúda. Acho que, pelo facto de nunca ter sido daquelas crianças chatas e pedinchonas, que queria tudo o que via, pois sempre tive consciência do esforço que os meus pais faziam por mim e pelo meu irmão, que quando isso acontecia os meus pais cediam e permitiam que não tivesse que escolher. 
Não me conseguindo decidir e tendo o coração dividido em 2 cores... trouxe ambas com a desculpa do "pelo preço de umas levo duas" blá blá. mas sei que no fundo devia ter a capacidade de escolher só umas. Enfim. Trouxe um número acima com a desculpa "umas palmilhas resolvem isto", pois que não resolveram e entretanto já tive que as trocar, mas se alguém gostar do modelo aqui fica a foto.

...

Sometimes holding on hurts more than letting go.:

domingo, 29 de janeiro de 2017

Saldos #1



29.99€
15.99€
Pull & Bear

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Uppss...


(Fotografia enviada ao namorado)

Eu: Não é o que parece... Eu posso explicar
Ele: Zara, Pull, Tiffosi, Kiko, Lefties...
Eu: Ok, é exatamente o que parece.

Ainda não tinha ido à H&M...

Desgracei-me!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Óh caraças..

Resultado de imagem para keep calm old birthday

Hoje perco o meu desconto jovem.
Isso pressupõe o fim de um ciclo, certo? E que os anos estão a passar. Raios! 
O ano que passou foi um ano bom e é o que me deixa um pouquinho menos saudosista ao fazer esta contagem, significa que também com o passar dos anos podem vir coisas boas.
Sou mais independente, mas continuo trapalhona e distraída. Tenho alguma estabilidade que me permite ir passeando, mas é só quando o lowcost está mesmo verylowcost. Tenho um espaço "meu", mas que o namorado me faz lembrar que "tenho que fechar sempre as portas dos armários" mesmo que vá voltar a colocar algo de seguida e que "não posso molhar o chão com o meu cabelo quando saio do banho".
Sei que sou uma jovem e tenho tudo pela frente, mas o meu metabolismo (sacana!) começou a atraiçoar-me e, recorrentemente, relembra-me que não é só mais um ano, que no total já são uns quantos dignos de registo e que me tenho que pôr fina e que ele não perdoa os meus raros, raríssimos, cof cof, deslizes. 
Vou ser tia e aqui não há nenhum "mas", mal posso esperar para ver o meu sobrinho e é uma sensação estranha porque começo a gostar de algo que nunca vi, mas pelo qual já tenho afecto.
Tenho medo de fazer planos para o futuro, muda tudo tão rápido que, às vezes, mais vale ir deixando a vida acontecer.
Não peço muito, só vou pedindo um dia feliz de cada vez. Com os meus. Aqui ou por esse mundo fora.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Vamos todos fazer um minuto de silêncio...

...pela minha vizinha cujo marido não suporta lençóis polares e mantém um casamento em que tem que dormir todo o ano em lençóis de verão.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Ser ou não ser

Quem me conhece daqui ou na minha esfera de amigos e familiares sabe que eu passo a vida a brincar. Nos textos são inúmeras as vezes que tenho que escrever -not- à frente para que as pessoas perceberem que estou só a satirizar a situação, sarcasmo é o meu nome do meio, nada a fazer.
Os meus amigos já conhecem, o meu namorado percebe, quem me lê penso que também já descortinou esta minha personalidade. Gosto de brincar e de usar ironia, sempre que posso, parece uma forma mais leve e mais engraçada de levar a vida.

Tudo muito lindo, tudo muito lindo mas o problema acontece quando as pessoas não me conhecem tão bem. Eu esqueço-me de explicar certas observações que faço, com ironia, e as pessoas ficam a pensar que eu acho mesmo aquilo que disse, mas cujo significado era o contrário.

Exemplo parvo e ao acaso.: Eu não digo: "Eu gosto de chocolate", eu digo: "eu? eu não gosto naaada de chocolate" e pressuponho que as pessoas que me conhecem entendem. Quem não conhece, percebi que fica a pensar que não gosto.


Ontem uns colegas do namorado, que conheço à pouco tempo, estavam a dizer-me que tinha que ir jantar com eles, que não tinha como escapar. Eu, a brincar, digo que "uii, amanha só saio lá para as 22h" e riu-me. Ficou combinado o jantar e só hoje me apercebi que eles estavam a alterar tudo para o jantar ser as 22h.

A sério.

Note to self: Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem.





sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Viajar para a Ilha Terceira por 15€? Oi?


Depois digam que eu não sou amiga

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A Pipoca está separada? óh caraças

Hoje li na capa da Nova Gente que a Pipoca está separada...
Acho que toda uma blogosfera tremeu... eu própria ainda estou a recuperar do choque inicial.


Depois dos rompimentos Brangelina, Markl-Galvão, estou a começar a perder a fé nisto, pá, atão

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2016

2016 foi um ano invulgar.
Foi um ano que o meu carro me deu chatices sem fim. Fiz, durante muitos meses, 4 horas de comboio por dia. Andei muito a pé, levei com muita chuva, muito frio, corri desalmadamente, vezes sem fim, a mal olhar para os semáforos para conseguir apanhar o comboio. Felizmente não fui atropelada. Foi o ano em que mudei de cidade. Deslumbrei-me com Paris. Não fomos assaltados, o que ajudou bastante. O meu pai fez 65 anos. 2016 foi o ano que mal olhei para a minha cunhada percebi instantaneamente que ia ser tia, depois soube que era um menino. Andei um mês a fazer de conta que não tinha notado e, depois, agi como se fosse uma grande surpresa. Foi especial porque já tinha aceite que nunca teria sobrinhos (o namorado é filho único). Arrendei um apartamento em meu nome. Engordei. Despedi-me. Comprei mobília no Olx. Levei os meus pais a São Miguel e será algo que nunca vou esquecer. Comecei um novo trabalho. Comecei a morar com o namorado. Tive medo, mas percebi que pode funcionar. Não fiz nenhuma formação, embora quisesse. Temos vizinhos da porta ao lado com quem nos damos bem. Fui a banhos à Caldeira Velha e à Poça Dona Beija e foi algo transcendental. Arrastei o namorado para Manchester e ele arrastou-me para a tour do Estádio do Manchester. Conhecemos Salford. Não vimos o Mourinho. Experimentamos o Airbnb e gostei. Passei o fim de ano nos Aliados e passei um frio jeitozinho. Para o ano eu e o namorado vamos deixar estas aventuras para os jovens e vamos ficar em algum sítio no quentinho.

2016 foi um bom ano. Tive os meus. Houve saúde. Houve a noticia feliz de um sobrinho e neto que já ninguém contava. Há um novo trabalho. Há uma casa. Foi um ano bom. Felizmente. Se 2017 não for melhor, que seja igual.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Apetece-me atirar o namorado pela janela

O meu carro precisava de ir à inspecção.
Até agora sempre foi o meu pai a tratar disso, este ano como estou geograficamente longe combinei com o namorado que ele o levava a um mecânico fazer a revisão e que depois o tal individuo o levava à inspecção. Um mês antes do dia em que acabava o prazo combinamos que seria assim.


2 Semanas antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção.. 
Ele: Ui, falta tanto tempo... depois vemos isso.

1 Semana antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção.. 
Ele: Estás muito preocupada, depois logo se vê.

4 Dias antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção... 
Ele: Eu vou falar com o meu tio que ele é que conhece o individuo...

2 Dias antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção.. 
Ele: O meu tio esteve a falar com o tipo e não há problema, basta lá ir no último dia...
Eu: Mas fica apertado, mas é em cima da hora... Ele ainda tem uma série de coisas para ver..
Ele: Nãaa, que exagerada, sem problema.


No último dia de inspecção:
Ele: Olha... afinal é preciso pneus e alinhar a direcção do carro e o mecânico já não consegue fazer isso tudo hoje. Já não vai hoje à inspecção.


Respira, respira muito fundo.  

Só me apetece atirar o namorado da janela.
A sorte dele é vivermos no rés do chão.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Balanço das prendas de Natal

coffee, winter, and christmas image

Todas para trocar.
As pessoas vão desistir de me oferecer coisas e por um lado até é preferível do que gastarem dinheiro e eu não gostar.

O que eu gostava era de conseguir fazer aquele ar de "Sim, gosto mesmo", mas nada, nunca consigo disfarçar... A minha mãe quase lhe vieram as lágrimas aos olhos tal o meu ar de "epá, não gosto nada disto" mas em minha defesa: não é intencional, mas não consigo dizer que gostei quando não tem nada a ver comigo. Ok ok... tenho a sensibilidade de um lince da sibéria, que fazer?

Conclusão: Tudo para trocar.
Só não troco aquele postal com um nota de 50€. Nop. Esse fica.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Queridíssimos:

christmas, cozy, and merry image

Xuxucos e xuxucas do meu coração,

A todos um feliz e santo Natal

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Títulos possíveis: A saga das cortinas ou Sozinha não é em casa, mas no parque de estacionamento

cat, christmas, and winter image

Com 100€ de margem para as cortinas da sala fomos nós, todos lampeiros, ao Espaço Casa.
De todas as cortinas que existiam gostei de quais de quais? Daquelas que só existia 1 unidade (quando nós precisamos de 4). Como já passava das 22h não nos souberam dizer se havia em outras lojas. No dia seguinte rumamos a outra loja Espaço Casa, em que o gerente desconhece o seu stock, e calcula que deve ter em armazém mas não sabe muito bem onde. Ficou de ligar para passarmos por lá para as buscar.

Ora... ficaram a faltar varões.

Saímos da loja e rumamos à segunda loja do chinês mais próxima, que a primeira é cara comódiabo.
Compramos 2 varões por 12€/Cada. Como um deles estava marcada a 11.50€ lá nos fizeram o desconto.

Quando regressamos ao Espaço Casa para ultimar as últimas 300 mil prendas para os familiares do namorado eis que tivemos uma visão que nos cegou... Os mesmos varões, em promoção, por 4,99€.

Epá, fomos enganados. Nós doutorados em pechinchas e similares tínhamos acabado de ser endrominados pela velha ideia "nos chineses é mais barato"... Txiii, que desilusão.

Ambos sabíamos que isso feriu o nosso orgulho de forretas e pegamos nos varões para experimentar tentar devolvê-los, embora sem muita crença.

Cheguei e a menina disse logo "não devolver, tlocar". Para que raio queria 20 e tal euros para gastar nos chineses? Insisti e pedi para chamar o gerente, pronta para dizer "Quero já o livro de reclamações..." Mesmo sabendo que eles se podem recusar a devolver.

Chega o gerente que é do tamanho do meu ombro e vamos para a caixa. A fila dava para dar a volta a uma rotunda e eu já me estava ali a ver o cenário todo montado com 120 olhos (6 dos quais em bico) a olhar para mim.

Por obra do divino ele prontificou-se logo a devolver. Talvez não quisesse chatice com a casa cheia. 

Boa! Conseguimos o objectivo.

Voltamos ao shopping, ao final da tarde, para ir à loja comprar os varões. 
Com um trânsito infernal no parque de estacionamento decidi dizer ao namorado: tenta estacionar, eu adianto-me e vou comprar os varões, depois vais lá ter comigo. 

Saio a correr, o namorado não percebe que é para ir ter comigo depois e estaciona onde me deixou.
Vou comprar os varões volto e, sem telefone, com filas de carros no estacionamento por todo o lado fico absolutamente desorientada e não faço ideia de onde está o namorado.

Raios que parece que não somos nada sem telemóvel.

Fiquei sozinha, sem telefone, sem possibilidade de voltar para casa, sem nenhuma capacidade de orientação para perceber onde estava o carro quando eu saí, num estacionamento cheio de gente e atolado de carros por todo o lado.

Pronto, podia muito bem tocar em fundo o all by myself, pois ali estava eu sozinha, com 2 varões punho que mais parecia que tinha saído do Game of Thrones, às voltas no estacionamento, sem mínima noção de para onde ir nem de como me virar. 

20 minutos disto.
Eis que o namorado percebe o evidente - que eu não faço ideia de onde está o carro para regressar e vai ter comigo à entrada para o shopping.
Epá, agora sei como se sentiu o Ronaldo quando viu a mãe Dolores, naquele anúncio de Natal, coitadinho que também ficou sozinho. Se calhar também lhe aconteceu o mesmo que a mim, andou uma tarde inteira para poupar 10€ e depois desencontrou-se da mãe.



Sim, deve ter sido isso...

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eu quando olho para a minha conta bancária...



e nem comprei quase prendas nenhumas e ainda tenho o carro na revisão.
Great.

Flickr Images