sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Óh caraças..

Resultado de imagem para keep calm old birthday

Hoje perco o meu desconto jovem.
Isso pressupõe o fim de um ciclo, certo? E que os anos estão a passar. Raios! 
O ano que passou foi um ano bom e é o que me deixa um pouquinho menos saudosista ao fazer esta contagem, significa que também com o passar dos anos podem vir coisas boas.
Sou mais independente, mas continuo trapalhona e distraída. Tenho alguma estabilidade que me permite ir passeando, mas é só quando o lowcost está mesmo verylowcost. Tenho um espaço "meu", mas que o namorado me faz lembrar que "tenho que fechar sempre as portas dos armários" mesmo que vá voltar a colocar algo de seguida e que "não posso molhar o chão com o meu cabelo quando saio do banho".
Sei que sou uma jovem e tenho tudo pela frente, mas o meu metabolismo (sacana!) começou a atraiçoar-me e, recorrentemente, relembra-me que não é só mais um ano, que no total já são uns quantos dignos de registo e que me tenho que pôr fina e que ele não perdoa os meus raros, raríssimos, cof cof, deslizes. 
Vou ser tia e aqui não há nenhum "mas", mal posso esperar para ver o meu sobrinho e é uma sensação estranha porque começo a gostar de algo que nunca vi, mas pelo qual já tenho afecto.
Tenho medo de fazer planos para o futuro, muda tudo tão rápido que, às vezes, mais vale ir deixando a vida acontecer.
Não peço muito, só vou pedindo um dia feliz de cada vez. Com os meus. Aqui ou por esse mundo fora.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Vamos todos fazer um minuto de silêncio...

...pela minha vizinha cujo marido não suporta lençóis polares e mantém um casamento em que tem que dormir todo o ano em lençóis de verão.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Ser ou não ser

Quem me conhece daqui ou na minha esfera de amigos e familiares sabe que eu passo a vida a brincar. Nos textos são inúmeras as vezes que tenho que escrever -not- à frente para que as pessoas perceberem que estou só a satirizar a situação, sarcasmo é o meu nome do meio, nada a fazer.
Os meus amigos já conhecem, o meu namorado percebe, quem me lê penso que também já descortinou esta minha personalidade. Gosto de brincar e de usar ironia, sempre que posso, parece uma forma mais leve e mais engraçada de levar a vida.

Tudo muito lindo, tudo muito lindo mas o problema acontece quando as pessoas não me conhecem tão bem. Eu esqueço-me de explicar certas observações que faço, com ironia, e as pessoas ficam a pensar que eu acho mesmo aquilo que disse, mas cujo significado era o contrário.

Exemplo parvo e ao acaso.: Eu não digo: "Eu gosto de chocolate", eu digo: "eu? eu não gosto naaada de chocolate" e pressuponho que as pessoas que me conhecem entendem. Quem não conhece, percebi que fica a pensar que não gosto.


Ontem uns colegas do namorado, que conheço à pouco tempo, estavam a dizer-me que tinha que ir jantar com eles, que não tinha como escapar. Eu, a brincar, digo que "uii, amanha só saio lá para as 22h" e riu-me. Ficou combinado o jantar e só hoje me apercebi que eles estavam a alterar tudo para o jantar ser as 22h.

A sério.

Note to self: Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem. Falar a sério com pessoas que não me conhecem.





sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Viajar para a Ilha Terceira por 15€? Oi?


Depois digam que eu não sou amiga

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A Pipoca está separada? óh caraças

Hoje li na capa da Nova Gente que a Pipoca está separada...
Acho que toda uma blogosfera tremeu... eu própria ainda estou a recuperar do choque inicial.


Depois dos rompimentos Brangelina, Markl-Galvão, estou a começar a perder a fé nisto, pá, atão

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2016

2016 foi um ano invulgar.
Foi um ano que o meu carro me deu chatices sem fim. Fiz, durante muitos meses, 4 horas de comboio por dia. Andei muito a pé, levei com muita chuva, muito frio, corri desalmadamente, vezes sem fim, a mal olhar para os semáforos para conseguir apanhar o comboio. Felizmente não fui atropelada. Foi o ano em que mudei de cidade. Deslumbrei-me com Paris. Não fomos assaltados, o que ajudou bastante. O meu pai fez 65 anos. 2016 foi o ano que mal olhei para a minha cunhada percebi instantaneamente que ia ser tia, depois soube que era um menino. Andei um mês a fazer de conta que não tinha notado e, depois, agi como se fosse uma grande surpresa. Foi especial porque já tinha aceite que nunca teria sobrinhos (o namorado é filho único). Arrendei um apartamento em meu nome. Engordei. Despedi-me. Comprei mobília no Olx. Levei os meus pais a São Miguel e será algo que nunca vou esquecer. Comecei um novo trabalho. Comecei a morar com o namorado. Tive medo, mas percebi que pode funcionar. Não fiz nenhuma formação, embora quisesse. Temos vizinhos da porta ao lado com quem nos damos bem. Fui a banhos à Caldeira Velha e à Poça Dona Beija e foi algo transcendental. Arrastei o namorado para Manchester e ele arrastou-me para a tour do Estádio do Manchester. Conhecemos Salford. Não vimos o Mourinho. Experimentamos o Airbnb e gostei. Passei o fim de ano nos Aliados e passei um frio jeitozinho. Para o ano eu e o namorado vamos deixar estas aventuras para os jovens e vamos ficar em algum sítio no quentinho.

2016 foi um bom ano. Tive os meus. Houve saúde. Houve a noticia feliz de um sobrinho e neto que já ninguém contava. Há um novo trabalho. Há uma casa. Foi um ano bom. Felizmente. Se 2017 não for melhor, que seja igual.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Apetece-me atirar o namorado pela janela

O meu carro precisava de ir à inspecção.
Até agora sempre foi o meu pai a tratar disso, este ano como estou geograficamente longe combinei com o namorado que ele o levava a um mecânico fazer a revisão e que depois o tal individuo o levava à inspecção. Um mês antes do dia em que acabava o prazo combinamos que seria assim.


2 Semanas antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção.. 
Ele: Ui, falta tanto tempo... depois vemos isso.

1 Semana antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção.. 
Ele: Estás muito preocupada, depois logo se vê.

4 Dias antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção... 
Ele: Eu vou falar com o meu tio que ele é que conhece o individuo...

2 Dias antes:
Eu: É preciso levar o carro ao mecânico para ele ir à inspecção.. 
Ele: O meu tio esteve a falar com o tipo e não há problema, basta lá ir no último dia...
Eu: Mas fica apertado, mas é em cima da hora... Ele ainda tem uma série de coisas para ver..
Ele: Nãaa, que exagerada, sem problema.


No último dia de inspecção:
Ele: Olha... afinal é preciso pneus e alinhar a direcção do carro e o mecânico já não consegue fazer isso tudo hoje. Já não vai hoje à inspecção.


Respira, respira muito fundo.  

Só me apetece atirar o namorado da janela.
A sorte dele é vivermos no rés do chão.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Balanço das prendas de Natal

coffee, winter, and christmas image

Todas para trocar.
As pessoas vão desistir de me oferecer coisas e por um lado até é preferível do que gastarem dinheiro e eu não gostar.

O que eu gostava era de conseguir fazer aquele ar de "Sim, gosto mesmo", mas nada, nunca consigo disfarçar... A minha mãe quase lhe vieram as lágrimas aos olhos tal o meu ar de "epá, não gosto nada disto" mas em minha defesa: não é intencional, mas não consigo dizer que gostei quando não tem nada a ver comigo. Ok ok... tenho a sensibilidade de um lince da sibéria, que fazer?

Conclusão: Tudo para trocar.
Só não troco aquele postal com um nota de 50€. Nop. Esse fica.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Queridíssimos:

christmas, cozy, and merry image

Xuxucos e xuxucas do meu coração,

A todos um feliz e santo Natal

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Títulos possíveis: A saga das cortinas ou Sozinha não é em casa, mas no parque de estacionamento

cat, christmas, and winter image

Com 100€ de margem para as cortinas da sala fomos nós, todos lampeiros, ao Espaço Casa.
De todas as cortinas que existiam gostei de quais de quais? Daquelas que só existia 1 unidade (quando nós precisamos de 4). Como já passava das 22h não nos souberam dizer se havia em outras lojas. No dia seguinte rumamos a outra loja Espaço Casa, em que o gerente desconhece o seu stock, e calcula que deve ter em armazém mas não sabe muito bem onde. Ficou de ligar para passarmos por lá para as buscar.

Ora... ficaram a faltar varões.

Saímos da loja e rumamos à segunda loja do chinês mais próxima, que a primeira é cara comódiabo.
Compramos 2 varões por 12€/Cada. Como um deles estava marcada a 11.50€ lá nos fizeram o desconto.

Quando regressamos ao Espaço Casa para ultimar as últimas 300 mil prendas para os familiares do namorado eis que tivemos uma visão que nos cegou... Os mesmos varões, em promoção, por 4,99€.

Epá, fomos enganados. Nós doutorados em pechinchas e similares tínhamos acabado de ser endrominados pela velha ideia "nos chineses é mais barato"... Txiii, que desilusão.

Ambos sabíamos que isso feriu o nosso orgulho de forretas e pegamos nos varões para experimentar tentar devolvê-los, embora sem muita crença.

Cheguei e a menina disse logo "não devolver, tlocar". Para que raio queria 20 e tal euros para gastar nos chineses? Insisti e pedi para chamar o gerente, pronta para dizer "Quero já o livro de reclamações..." Mesmo sabendo que eles se podem recusar a devolver.

Chega o gerente que é do tamanho do meu ombro e vamos para a caixa. A fila dava para dar a volta a uma rotunda e eu já me estava ali a ver o cenário todo montado com 120 olhos (6 dos quais em bico) a olhar para mim.

Por obra do divino ele prontificou-se logo a devolver. Talvez não quisesse chatice com a casa cheia. 

Boa! Conseguimos o objectivo.

Voltamos ao shopping, ao final da tarde, para ir à loja comprar os varões. 
Com um trânsito infernal no parque de estacionamento decidi dizer ao namorado: tenta estacionar, eu adianto-me e vou comprar os varões, depois vais lá ter comigo. 

Saio a correr, o namorado não percebe que é para ir ter comigo depois e estaciona onde me deixou.
Vou comprar os varões volto e, sem telefone, com filas de carros no estacionamento por todo o lado fico absolutamente desorientada e não faço ideia de onde está o namorado.

Raios que parece que não somos nada sem telemóvel.

Fiquei sozinha, sem telefone, sem possibilidade de voltar para casa, sem nenhuma capacidade de orientação para perceber onde estava o carro quando eu saí, num estacionamento cheio de gente e atolado de carros por todo o lado.

Pronto, podia muito bem tocar em fundo o all by myself, pois ali estava eu sozinha, com 2 varões punho que mais parecia que tinha saído do Game of Thrones, às voltas no estacionamento, sem mínima noção de para onde ir nem de como me virar. 

20 minutos disto.
Eis que o namorado percebe o evidente - que eu não faço ideia de onde está o carro para regressar e vai ter comigo à entrada para o shopping.
Epá, agora sei como se sentiu o Ronaldo quando viu a mãe Dolores, naquele anúncio de Natal, coitadinho que também ficou sozinho. Se calhar também lhe aconteceu o mesmo que a mim, andou uma tarde inteira para poupar 10€ e depois desencontrou-se da mãe.



Sim, deve ter sido isso...

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eu quando olho para a minha conta bancária...



e nem comprei quase prendas nenhumas e ainda tenho o carro na revisão.
Great.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Ah.. vou só ali à Zara ver as novidades... para depois comprar nos saldos


- disse eu ao namorado.



CASACO C/ LAPELA
29,95 EUR

Saí de lá com este pequeno em preto.


Upppss...

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Uepá..

O namorado ganhou 100€ no placard.

Habemos plafon para cortinas. Obá...


Nossa, odeio pobre...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Guia de Viagem: Manchester


Ora ora ora... há muito tempo atrás encontrei, numa das minhas pesquisas do costume, uma viagem para Manchester a 6€/ida.
Ora, há alguma coisa que eu queira ver em Manchester? Eck, não. Há alguma coisa que o namorado quer ver em Manchester? Sim, até há.

Volto a olhar para os 6€ e a minha veia consumista pulula de emoção. Quando vi já estava com o cartão de débito na mão a comprar a viagem.


Como tal, arrastei o namorado para Manchester recentemente.


Companhia de voo: Easyjet
Duração da viagem: 2.30h
Estadia: Airbnb

Lembram-se que eu estava morta de medo de experimentar o Airbnb?
Já experimentei e cheguei à conclusão que nunca mais teremos uma outra experiência tão boa na coisa.
A localização era boa e perto do Metrolink e aeroporto. A cama era muito boa, o pequeno-almoço fantástico. Tínhamos fruta, chocolate quente, queques, chás de toda a variedade, sumos, iogurtes, barras e snacks. Nenhuma outra experiência chegará aos pés desta, como tal a partir daqui nada será suficientemente bom.


Vantagens: Fomos para passear descontraidamente e não naquele ritmo apressado de Paris. O namorado parecia uma criança numa candystore no Estádio do Manchester e no Museu do Futebol. Têm namorado fanático por futebol? Então é decididamente uma boa prenda para oferecer.

Eis alguns dos pontos que visitamos:


Resultado de imagem para manchester cidade pontos de interesse

Resultado de imagem para manchester cidade pontos de interesse

Resultado de imagem para john rylands library manchester



Resultado de imagem para manchester cidade pontos de interesse

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Da eficiência


fashion, style, and jeans image

Sou mulher, como tal, estou habituada a fazer mil coisas ao mesmo tempo, mas ultimamente acho que ando a perder eficiência.
Já consegui fazer mais coisas ao mesmo tempo do que agora e isso deixa-me um pouco frustrada.
Gostava de conseguir sempre atualizar o blog, de ter um part-time regular, de me meter a estudar mais, de escrever mais, mas tudo isso fica sempre para segundo plano. Sinto que não tenho tempo, mas que também não o rentabilizo como devia. Olho para o currículo e está estagnado, as ofertas públicas de emprego são cada vez mais exigentes e temo nunca me enquadrar nos parâmetros para poder concorrer aos cuidados de saúde primários, que é o que me desperta mais interesse em termos de carreira. Por muito que gostasse de desenvolver uma ideia minha, o mercado está tão saturado que ou teria que ser muito diferenciador ou então seria um risco demasiado alto.
Depois vejo o Shark Tank U.S.A e vejo miúdos de 16 anos a desenvolverem ideias de negócio e sinto-me uma abécula incapaz. Enfim.


É certamente algo a tentar mudar em 2017.
A ver. A ver.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Sou tão boa na cozinha...

Como já aqui disse o namorado costuma ajudar e cozinhar quando chego tarde, que é sempre.
Ontem, excepcionalmente, fui eu a cozinhar. Fiquei tão doente do jantar que às 2 da manhã ainda não tinha feito a digestão.


Temo que não haja coincidências.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

...

Com a mudança de trabalho eu e o namorado passamos a viver na mesma cidade e recentemente decidimos alugar casa juntos.
Já vivi em muitas cidades, vivido com colegas, sozinha, com os meus pais novamente, mas nunca com o meu namorado. Gostava muito de estarmos juntos mas de termos espaços só nossos para onde voltar.
Morar junto não era algo que tivesse muito expectante para fazer, pelo contrário, sempre estive muito reticente mas os argumentos dele foram fazendo sentido. Por um lado, não percebia bem a convicção para as pessoas viverem juntas, mas não para casar. Contudo, casar também é algo que me deixa de pé atrás e era algo descartado a curto prazo. 
Foi confuso tomar uma decisão, mas tomei e como tal vivemos juntos recentemente.

Sim, chateia-me às vezes, embirra e mesmo estando errado mantém a posição e não dá o braço a torcer, mas de resto tem me ajudado imenso, sobretudo em dias que saio a horas pornográficas do trabalho... que são quase todos.

Temos mobilado a casa com coisas que nem imaginam. Comprado móveis no OLX que tem sido uma aventura. Concordamos que por não ser um espaço "nosso" não faz sentido muito investimento porque o que fica bem numa casa pode não ficar bem/caber noutra etc etc. 
Recentemente adquirimos a nossa primeira máquina de lavar nova, em estudo está também um fogão (correcção do namorado) forno.
A casa tinha um sofá, uma cama, mesa e 4 cadeiras. Nada mais. Tem sido uma conquista de cada vez.

Tenho sido muito poupadinha. O meu namorado, inclusive, acusou-me de não gastar o dinheiro dele para comprar coisas para a casa. Ele nunca vai perceber que é o único homem à face da terra a queixar-se disso, mas pronto.

Estou tentada a escrever uma crónica "Como mobilar a casa com o OLX", da triologia "Viver junto low cost" e "Nossa como tenho horror a pobre".

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

A saga ortodôntica

Já retirei o aparelho ortodôntico. Pela segunda vez.
Não, ainda não tenho os dentes direitos. Penso que nunca irei ter, paciência.

Foram 3 anos (2+1) a usar aparelho e acho que poderiam ter ficado totalmente corrigidos mas o meu dentista também não dava para mais. Ele despachava-me sempre dizendo que ui estavam extraordinários mesmo estando sempre desalinhados. É um processo um pouco frustrante sobretudo quando o meu dentista fazia tudo a olho, sem análise, estudo, radiografia, enfim.

Não sei se um dia não voltarei a ter que colocar aparelho, não sei se a saga termina aqui. Depende da minha disposição mental e financeira. E não, não foi um dentista manhoso, foi um bastante caro (quer dizer isso também não invalida que seja manhoso), enfim.

Nunca tive os dentes direitos e, provavelmente, nunca irei ter.
Seja como for, e 3000€ depois, fui um bocadinho enganada.


Agora que penso... em vez de ter colocado aparelho devia ter feito implantes mamários.
Assimcomássim, dentes desalinhados por dentes desalinhados, ficava ao mesmo preço e pelo menos era da maneira que nunca mais ninguém reparava nos meus dentes.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Como criar boas impressões

Estou no meu gabinete e entra o meu patrão para me instalar um aparelho de ar condicionado (thank god!). Reparamos que atrás de um armário há uma grelha de entrada de ar que gela o gabinete.
Patrão de Eva Luna vai buscar um cartão e fita cola e tapa a tal entrada de ar e coloca o armário a tapar, na saída repara no chão e pergunta se a empregada da limpeza limpa o gabinete, não contente com o estado do chão vai buscar uma esfregona e eu apresso-me a tirar-lhe a esfregona da mão e dou um jeito no chão.

Patrão de Eva Luna vai embora e de repente entra um paciente, que por acaso é médico, enquanto eu estou em pleno esfreganço de chão.
O senhor senta-se, eu num esforço hercúleo de manter uma postura credível começo a consulta. Pouco depois ouve-se a fita cola a descolar num som estranho e por fim o barulho dela a cair no chão.
Boa! Dois minutos depois ficamos sem luz no gabinete.


Uau, este vai certamente voltar.


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Eu, no nível de distracção já habitual...


Em consulta:

Senhor (completamente estrabico e com cada olho numa direção) sentado à minha frente.

Eu (em relação a outro assunto): "Porque é que isso acontece? Há assim algo que lhe salte à vista" 

Eckkk... podia ter escolhido uma frase um bocadinho mais feliz...


Só iguala uma vez que ia perguntar, enquanto estava a olhar para o computador, se o senhor tinha problemas de queda de cabelo e depois percebi que a pessoa era careca...

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Como assim?

Quem assiste a TLC já tem provas consistentes que o povo americano não é muito dado à clarividência. Tenho que admitir que nunca coloquei realmente a hipótese do Trump ser eleito. Achei uma miragem, um devaneio, uma estratégia de marketing, uma autopromoção que iria ficar por ali.
Hoje ao acordar o namorado diz-me: "Ganhou o Trump" e eu pensei "achas mesmo que eu ia cair nessa mentirinha fácil, por favor" e virei-me para o outro lado. Espreito a tv e algo está errado com a legenda, dizia "Donald Trump, presidente dos Estados Unidos".
A brincadeira estava a começar a perder a piada. Foi a mesma sensação de ter acordado com a notícia de uma catástrofe natural que arrasou populações. Neste caso o sentimento é o mesmo, mas por antecipação.
Ok, as opções não eram fantásticas mas caramba... 
Fiquei surpreendida, como é que as sondagens não anteciparam isto? Como é que ganhou em tantos estado? Como é que há mulheres e imigrantes a votarem nele? Como é que os ecologistas votaram nele se ele quer sair do acordo de Paris?

A partir de hoje nada mais será igual. Temos que ponderar seriamente qualquer candidatura eventual do Sapo Cocas a presidente dos Estados Unidos e mentalizar-mo-nos que um dia a Kardashian pode muito bem a vir ser primeira dama dos E.U.A. Já nada está fora de opção.

Temo, um bocadinho, o futuro.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Guia de Visita a São Míguel

Duração: 4 dias
Companhia de voo: Ryanair
Preço/viagem: 60€
Transferes Aeroporto - Cidade: Taxi 9€ com bagagem, 7 sem bagagem.



Alojamento
Fiquei na Casa da Matriz. É um alojamento bastante novo e confortável com todas as facilidades e muito bem equipada. Um boa cozinha com tudo o que é preciso, maquina de café, frigorífico, enfim, dos locais mais funcionais onde já estive. O alojamento fica a aproximadamente 30€/noite e neste momento fica difícil fazer simulação porque está, a curto prazo, absolutamente lotado e  sem disponibilidade. A localização é mesmo central, o meu quarto tinha vista para o mar e para as portas da cidade.






Deslocação
Para conhecer a ilha é mesmo preciso um carro. Aluguei um novinho acabado de sair da fábrica e fui provavelmente das únicas clientes a pedir "por favor, não tem um carro menos recente?" não fosse de se me atravessar uma vaca na estrada e depois o prejuízo ser grande. 
Paguei sensivelmente 80€ para 2 dias, nos outros não precisamos de carro.

Locais obrigatórios a visitar
As lagoas que são incríveis.



As portas da Cidade
Furnas

Caldeira Velha - um paraíso na terra.
É possível ir a banhos a uma temperatura de 30 graus que é de uma pessoa ficar eternamente mal acostumada e nunca mais querer meter um pé numa piscina a 20º. Em alguns sitios é possível ver a água a borbulhar a 60º, que é impressionante.


Poça Dona Beija
Estava na dúvida afinal eram 4€ de entrada mas não podia ter sido melhor investido o dinheiro. São várias piscinas naturais com temperaturas até 39º graus. É um jacuzzi em natural e em bom.


O que comer:
Cozido das Furnas é obrigatório e bom! Eu que não como carne de vaca, provei um bocadinho e nem cuspi que é o normal. Fomos ao restaurante mais típico o Tony's, mas é preciso encomendar e reservar lugar que está sempre cheio de gente. É saboroso e olhem que eu sou uma esquisita de primeira.


Toda a ilha parece um postal. A sério, um jardim gigante! Vale mesmo muito a pena.



segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Das unhas

Estão a durar mais ou menos 15 dias.

No outro dia andava às compras e duas senhoras conversavam: 
Senhora 1: "Queres que te marque a manutenção do gelinho? São 20€" 
Senhora 2: "Marca, marca"... 
Enquanto olhavam para uma frigideira a primeira pergunta... 
Senhora 1: "Ui, vais dar 9€ por isso?"

É tudo uma questão de prioridades...


Dar 20€ por uma manutenção é uma daquelas coisas inconcebíveis para mim, tendo em conta o meu estatuto social e correspondente conta bancária. Portanto é uma solução que vai resolvendo o problema.  

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Voltei, voltei de lá...

Xuxucos desculpem,
Tem acontecido tanta coisa que fica até difícil actualizar esta minha humilde cabana de praia.

Em primeiro lugar dizer que fui a São Miguel. Amigos do meu coração tenho a dizer que é um paraíso na terra. Como é que ninguém nunca me disse que era obrigatório ir aos Açores, como?

60€ ida e volta na Ryanair e a hospedagem também foi acessível e central (digamos que mais central impossível) mesmo ao lado das portas da cidade.

Para quem já pagou, como eu, 50€ para ir e voltar a Lisboa, fica impossível viagem mais acessível.
A cidade é linda e é uma chapada de luva branca a nós continentais pela organização, pelo paisagismo, pela limpeza. A sério, é um jardim em ponto grande.

Reconheço que é preciso sorte no estado do tempo e eu tive-a. Dias lindos (quase nada de chuva) deu para ver tudo e ficar encantada. Tenho para mim que vou ter que fazer o sacrifício (que chatice!) de lá voltar um dia, uma vez que o namorado não foi.





segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Cinema A rapariga no Comboio


Ontem fui ver este filme na sessão que acaba à meia-noite... Isto porque eu e o namorado andamos curiosos, afinal não se fala noutra coisa e lá fomos nós num domingo trabalhando na segunda (óh deus).
Eu particularmente. Então é a história de uma mulher que passa a vida no comboio. Como recentemente fazia 4 horas no comboio identifiquei-me logo com o filme. É verdade que começamos a imaginar cenários, a focar todos os dias nas mesmas casas e pessoas, começamos a fazer construções sobre a vida de outras pessoas, enfim. Fui logo apanhada na rede.
Gostei, é um filme bom, mas se calhar ia com demasiada expectativa pelo filme e por causa da atriz, que já nos habituou a filmes arrebatadores.
Sai do cinema com um ecck, foi bonzinho... Acho que o problema foram as expectativas muito altas que estragaram um bocado a coisa. 

Ainda assim vale a pena ver, claro que sim, mas não sei se limpa algum óscar...

Flickr Images