segunda-feira, 30 de junho de 2014

Do que aconteceu com a Judite Sousa


A vida, às vezes, dá-nos golpes duríssimos, que nada têm que ver com os estúpidos pequenos nadas com que nos arreliamos no dia-a-dia, aos quais damos exagerada importância.
Eu, que até nem consigo ver na Judite as qualidades profissionais que muitos lhe atribuem, não consigo compreender como se supera de algo assim. O peso da dor que aquela pessoa sentirá para sempre, todos os dias, até ao fim da sua vida.
Nestas alturas a solidariedade dos outros de pouco ou nada valerá aos que perderam alguém, mas se valer aqui fica a nossa.

3 comentários:

Na Província disse...

Verdade, a pior das dores...

Joana Gouveia disse...

A morte de um filho é dos lutos não-ultrapassáveis. Nem consigo imaginar como será a dor daquela e de tantas outras mães.

A Pimenta* disse...

Nem imagino a dor que ela está a passar. Não é de todo fácil de um momento para o outro ver um filho fugir das mãos, da sua vida. Nem é bom pensar!

Flickr Images