terça-feira, 11 de agosto de 2015

O choque do silicone


Eu que até sou a favor do silicone, se a mulher quer e pode, então nada contra, desde que fique esteticamente bonito.

Mas mas mas... há sempre um mas.
Este verão conheci uma mulher esbelta com tudo no sítio. Desconfiei logo que havia silicone, porque era demasiada proporcionalidade para ser obra divina. A coisa passou. Por circunstâncias várias fomos à praia juntas e ai sim, vi o terror. Era silicone, sim, mas a questão não era essa. As próteses estavam muito visíveis, era possível ver todos os contornos da mesma, porque era mesmo muito superficial e cada vez que ela se inclinava para a frente o peso da prótese fazia repuxar a pele. Ficava com os seios com imensas depressões, a toda a volta, com as marcas do peso da prótese. Só mesmo vendo. 

Desde aí fiquei muito mais alerta, porque há resultados assustadores!  [Se bem que não é preciso perceber muito da coisa para entender que apenas uma camada fina de pele a segurar próteses de silicone de tamanho generoso é coisa que é capaz de não correr bem.] Daí as cirurgias por detrás do músculo serem mais caras, provavelmente porque isto já não deve acontecer.

Eu sou adepta de tudo low cost mas se calhar neste assunto é melhor se ter cuidado...

2 comentários:

[B] disse...

É como tudo na vida, por vezes o barato saí caro (ou fica feio) kkkk

Ricardo Francisco disse...

Por alguma razão se costuma dizer que "o barato sai caro". Nunca vi um caso desses ao vivo mas acredito que seja um pouco assustador. Quando as mulheres são muito magras é mais complicado colocar silicone precisamente por esse motivo. É como dizes, mais vale gastar mais dinheiro que ficar assim.

Ricardo, The Ghostly Walker.

Flickr Images