terça-feira, 15 de março de 2016

Paris #Diários da viagem


Tanto há a dizer sobre Paris.
Porquê Paris? Podem perguntar. 
Sonho de infância? Nop. Deslumbramento? Nop. Por ser a cidade do amor? Nop.
A razão foi uma promoção nas viagens de avião. A cidade foi escolhida por este critério.

Nunca tive o fascínio por Paris. Por Londres talvez. Paris era aquela cidade que todos me diziam que ansiavam ir e eu sempre achei: eckkk!

Por desígnios que já expliquei comprei as viagens, comecei a ler sobre a cidade e a fazer um auto-guia da cidade e relativamente me interessando e criando expectativa.


Depois cheguei a Paris e uaaaauu!
É uma cidade extraordinária com uma riqueza inexplicável e uma arquitectura que nos deixa estupefactos.  Agora sim percebo todo o frenesim.

Contudo, conheci 1 cidade mas 2 realidades.

Uma de monumentos espectaculares, de uma opulência e ostentação surreal que nos faz ficar sem fôlego e outra de uma preocupação constante com roubos, furtos, criminalidade, bairros complicados, com pessoas assustadoras, feiras de coisas roubadas, abordagens agressivas, enfim. Uma cidade e duas realidades, mas ainda assim tive uma sorte imensa em vários aspectos e correu tudo lindamente.

Assim que puder faço o guia da visita.

2 comentários:

Sílvia disse...

Muito muito curiosa para ler tudo. Vou a Paris em abril. Tal como tu estou a tentar fazer um guia e também como tu o meu fascínio é Londres. É o meu sonho e é lá que quero ir, portanto, porquê paris? Porque com viagens a 40euros uma pessoa não deixa escapar!

A Pimenta* disse...

Confesso que Londres está no topo da minha lista de cidades a que fui. Quanto a Paris talvez possa afirmar que foi uma desilusão, porque ia com expetativas imensamente altas.

Flickr Images