terça-feira, 16 de janeiro de 2018

A internet é um mundo estranho.


Eu tenho um amigo, da minha idade, que tem a vida organizada, vive com a namorada e com a cadela, já partilhou várias vezes que não tem interesse em ter filhos, mas trata a cadela como se fosse uma. Várias vezes chega perto das pessoas a dizer "já viste tão gira a minha cadela?", "comprei-lhe um laço novo!". Nota-se a estima que tem pelo animal. 

Nas férias ele estava a passear com a namorada, parou perto de um parque e saiu do carro. Rapidamente um indivíduo chega perto dele e lhe pergunta "viu o que fez? isso não se faz!". Ele ficou meio confuso, sem perceber aquela conversa. O senhor estava a acusa-lo de ter abandonado um cão, que andava por lá. Após explicar que nunca tinha visto o cão o senhor não se convenceu e resolveu tirar uma fotografia ao carro dele e postar no facebook que "o dono daquele carro tinha abandonado um cão".
A publicação teve 10 mil partilhas, inclusive de associações de proteção dos animais e tudo mais. Ele percebeu quando amigos dele também partilharam a publicação. E estava ali... a acusação, o carro dele, a matrícula, o nome do pai e morada (que através da matrícula conseguiram obter), quinhentas ameaças que "devia morrer" ou "ser abandonado também" ou que "lhe iriam desfazer o carro" quando ele estava inocente e pior... trata os animais como muitas pessoas não tratam outras pessoas. 
Teve que fazer queixa na polícia contra o indivíduo que fez a publicação para sua própria proteção e também do carro, pagar 50€ ao advogado e acatar o receio de alguém poder querer fazer-lhe mal ou à família.

Ás vezes achamos todos que as redes sociais não são bem um coisa "a sério" que podemos falar sem filtro, que ao partilharmos uma publicação estámos a ajudar uma causa, mas imaginem a confusão que ficou a vida dele só por causa de uma publicação. Todas aquelas pessoas que a partilhar acharam que iriam ajudar a condenar um culpado mas estavam, na verdade, a condenar um inocente. 

E como ele diz: "cuidado, pode acontecer a qualquer um de nós."

Antes de destilarmos toda a fúria escondida dentro de nós, antes de insultarmos gratuitamnte  acharmos que somos melhores que os outros ou que temos todo o direito em partilhar a nossa opinião, devemos pensar: mas somos absolutos conhecedores do que aconteceu? Devemos parar e agir nas redes sociais como somos na vida e pensar que qualquer situação mal interpretada podemos ser nós a estarmos a ser julgados por milhares de pessoas, estando inocentes.

13 comentários:

J* disse...

Mas que situação desagradável. É bem verdade que nós nas redes sociais parece que ganhamos uma coragem e falamos sobre tudo com certezas garantidas!!! E depois temos casos como este!
https://jusajublog.blogspot.pt/

Madalena Santos disse...

Insólito ! pelos vistos agora virou moda ..as publicações dos vídeos nas redes sociais .. acusar alguém sem provas é crime e publicar fotos sem consentimento também .

Anónimo disse...

Um bom post este. Este caso dava para um filme! E quando somos acusados e não temos meios de provar a nossa inocência..? Acontece! Um Beijinho Eva Luna. Isabel Q

umadas3irmas.blogspot.pt disse...

As pessoas por vezes não tem noção das consequências dos seus atos. Tal como a pessoa que fez o post também quem partilha deve-se certificar que o que foi dito é verdade ou não.
Situações destas são completamente desnecessárias.
Mas sempre foi mais fácil julgar os outros.... e

Eva Luna disse...

Ele preferia que a queixa que o senhor fez, em vez de ter sido no facebook, tivesse sido na polícia. Se tivesse sido na polícia o senhor tinha que provar aquilo que estava a dizer, uma vez que estava inocente, o que teria muito menos impacto na vida dele do que teve nas redes sociais. Porque na policia têm que partir do pressuposto de inocência e nas redes sociais todos partem do pressuposto de que era culpado. E sem falar da parte das ameaças e tudo mais.

Cynthia disse...

Que situação! :o
Quando vemos uma coisa dessas nas redes não pensamos sequer que é mentira... é logo ver a revolta a crescer porque alguém fez aquilo.
Mas o dito senhor sabia o que fazia, o espertalhão, foi para as redes sociais e não para a polícia... lixou-lhe a vida, foi o que foi.

ML disse...

Sabes que quando vejo publicações desse tipo nunca partilho porque me causa confusão a facilidade com que se faz um julgamento em praça pública?
Coitado desse teu amigo... e a verdade é que pode acontecer a qualquer um....

Cherry disse...

Mas que situação lamentável, ainda por cima com uma pessoa inocente! As pessoas não têm mesmo noção do impacto que uma publicação pode ter, ando por aí simplesmente a espalhar ódio gratuitamente. É por isso que eu agora raramente ligo às polémicas que se instalam nas redes sociais.
Gostei muito do teu cantinho, segui :).
Beijinhos.
Cherry
Blog: Life of Cherry

Diana Domingues disse...

adorei o teu blog! ganhaste uma nova seguidora!
passa no meu e diz o que achas!
beijinhos
http://eyeelement.blogspot.pt

Dizinha na Cozinha disse...

Realmente a internet tem coisas boas mas também tem coisas muito más. A facilidade com que se julga e condena atrás de um ecrã e um teclado é incrivel.
Este post dá mesmo em que pensar.
Beijinhos

Tulipa Negra disse...

Atrás de um ecrã todos são heróis. É pena é que continuem a ser parvos, e continuem a falar das coisas sem saber.

Francisco o Pensador disse...

Já sei que vou parecer demasiado agressivo mas esta história traduz perfeitamente a opinião que eu tenho sobre as pessoas em geral. Seres subjectivos, que acreditam em tudo, sem qualquer noção do controlo e muito fáceis de impressionar...

Primeiro destroem tudo e todos e no fim, quando percebem que fizeram asneira, dizem: Ooooooo....eu não sabia!

Pois não, mas agora o mal está feito. :(

Coquinhas disse...

Fogo :( há coisas que uma pessoa nem pensa muito até que lê casos concretos :/

Flickr Images