quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Conversas de comboio

No outro dia no comboio sentaram-se à minha frente uma senhora que aparentava 40 e poucos anos e uma miúda (filha) de cerca de 15/16, com sinais evidentes de excesso de peso.

Conversa entre as duas, num tom em que se ouvia em toda a carruagem:

Filha: Sua nojenta!
Mãe: Feia!
Filha: Tens os dentes podres!
Mãe: Se não estivesses cá este mundo ficava mais leve... com o que tu comes...
Filha: Olha tu, sua baleia!
Mãe: E tu és elefanta..
Filha: Hipopótamo!
Mãe: E tu és um T-Rex, não há pior que isso..

(pausa de 30 segundos)

Filha: Sabes, tu não mandas em mim, se mandasses eu já estava no fim da linha.
Mãe: Eu mando em ti!
Filha: Óh, sua nojenta.

Mãe: Sabes... a tua sorte é teres a mãe fixe que tens.
Filha: E tu teres a filha fixe que tens.

Esbofetear alguém no comboio dá chatice?
Eu tive que me controlar tanto...

3 comentários:

Diana Moura disse...

Meu Deus, confesso, os nervos incontroláveis com que li o que escreveste.
Beijinhos,
Diana Moura

Miss Purple disse...

:O
Que raio..nem fez sentido ahahah cada gente doida!

Petra disse...

Realmente andar de transportes públicos é ter sempre cinema de borla!!

Flickr Images